- mariana. ♥ @ 22:51

Sab, 31/03/12

Desliguei o pc e pousei-o na secretária, certifiquei-me que estava tudo pronto para amanhã. Mal caí na cama adormeci.

Acordei com o som do meu despertador, era 07h, certas. Daqui a uma hora e 45m estava dentro do comboio para viajar até ao Porto. Levanto-me e tomo o meu banho, meto creme, maquilho-me e visto-me, verifico se esta tudo pronto, pego nas malas e vou até ao quarto do meu irmão.

 

-Posso?

-Sim, entra Sofia.

- Estás pronto?

- Sim, só falta levar as coisas para baixo e tomar o pequeno-almoço. A que horas o Gui vem cá ter?

- Vem ás 08h ter cá a casa.

- Óptimo, ás 8:15 estamos a apanhar o autocarro.

- Sim, vens para baixo?

- Yes. Precisas de ajuda com as malas?

- Não, obrigada.

- Então vá, vamos para baixo.

 

Descemos e fomos para a mesa da sala de jantar onde já estava o pequeno-almoço à nossa espera.

 

- Onde vão os meninos com tantas malas? – perguntou-nos a Maria.

- Ontem não a avisei porque já estava a dormir, mas vamos passar o fim-de-semana perlongado ao Porto. – respondeu o meu irmão.

- Ah, fazem bastante bem, e … - a campainha interrompeu o discurso de Maria.

- Deve ser o Gui, vou abrir. – disse eu, saindo da mesa.

- O menino Guilherme também vai com vocês?

- Sim, vai. – ouvi o meu irmão a responder enquanto ia em direcção à porta.

 

Espreitei pela pequena janelinha que existe na porta para verificar se era mesmo o Gui, e sim, era. Abri a porta e cheguei-me perto. Ele colocou-me as suas mãos nas minhas ancas, eu os meus braços á volta do seu pescoço, e beijamo-nos. Um beijo longo, como de dois namorados que já não se tocavam á bastante tempo. Depois separamo-nos, entramos dentro de casa, eu fechei a porta e caminhamos até á cozinha onde o meu irmão se encontrava, já sozinho.

 

- Pronto para conhecer a minha terra natal? – perguntei-lhe.

- Já nasci pronto meu amor.

- Ahah, que piada. Ele colocou o seu braço junto das minhas ancas e apertou-me contra ele.

- Olha os pombinhos. – disse o meu irmão, provocando-nos.

- Outro, com o sentido de humor muito elevado. – respondi-lhe – andamos muito brincalhões hoje.

- E nós muito refilonas. – provocando, outra vez.

- Esta bem. – Amuei.

- Então Gui, pronto para conhecer a minha terra natal? – perguntou-lhe o meu irmão, tal e qual como eu lhe perguntei.

- Mas vocês para além de serem gémeos combinam as coisas que dizem?

- Então, porque dizes isso?

- Porque eu acabei-lhe de fazer a mesma pergunta, igualzinho como tu disseste. – disse sem dar tempo ao Gui para responder.

- Ahah, que engraçado. Vamos mazé deixar-nos de conversas e vamos andando para a paragem do autocarro que hoje o dia vai ser comprido.

- Sim, vamos.

 

Pegamos nas nossas malas e caminhamos até á paragem que existe perto das nossas casas. A viagem até à Gare do Oriente foi curta. Ás 08:45 estávamos dentro do comboio a caminho do Porto. Ia ser uma viagem bastante grande, e por isso levei o meu ipod carregadinho de músicas, e o mais importante, de bateria. Como os “bancos” do comboio era virados uns para os outros, com uma pequena mesinha no meio, eu ia com o Gui num banco, e o Gonçalo ia virando para nós no banco á frente. Eu ia com as minhas pernas sobre as pernas do Gui, ia a ouvir musica. Almoçamos no comboio e perto das 16h tínhamos chegado ao nosso destino, a grande cidade invicta, Porto.

 

- Então, à primeira vista, o que achas disto? – perguntei ao Gui.

- É bastante bonito, eu já tinha vindo cá, mas foi á bastante tempo e não me lembro muito bem.

- Vamos lá para fora, eu vou telefonar aos pais a dizer que já chegamos. – disse o meu irmão apreçando-se para sair de ao pé da confusão.

 

Eu e o Gui seguimos o seu exemplo, e enquanto íamos a andar sinto uma coisa a tocar a minha mão, uma coisa não, a mão de Gui. Visto que ele estava a tentar dar-me a mão, retribui o gesto, e ficamos assim, a caminhar de mãos dadas. Ao longe, vi uma cara que não me era estranha, à medida que me ia aproximando ia cada vez mais reconhecendo a cara. Ah, já sei, o Miguel, a sua namorada, a Joana.

 

- Lembraste de eu ontem te ter falado do tal Miguel, o meu ex-namorado? Ele esta ai ao fundo.

- É aquele? E aquela que está ao lado dele é a tal tua amiga, a Joana?

- Sim, é essa mesmo.

- Aiiiiii, se eu passo por ele, nem sei o que faço.

- Não fazes nada, não vais descer ao nível dele.

- Tens razão.

 

Passamos por eles os dois. Ouve um ambiente um pouco mau. Eles olharam para nós com cara de surpreendidos. Mas eu não liguei, estava prestes a ver os meus pais, e os meus melhores amigos, e para além disso, estava feliz com o Gui, o meu namorado.



Dih'h ❁ @ 12:59

Seg, 02/04/12

 

- Q saudadinhas...!
Foi preciso reler alguns dos anteriores, mas de resto, nada a apontar.
Apenas q foi lííndo e que quero muito mais, está bem assim?
Estou mortinha para saber o que se irá passar na cidade 'invicta' que é o Porto x)
- Fico à espera ^^
Beijinho's*


agnes- @ 15:34

Seg, 02/04/12

 

gostei e obrigada por avisares :)


Joana Freitas @ 00:29

Ter, 03/04/12

 

Já tinha saudades de ler os teus capítulos :)
Como sempre fiquei com uma enorme vontade de ler mais, a história está a aquecer cada vez mais!


Triz @ 23:49

Qua, 04/04/12

 

Esta lindo, adorei.
Continua, obrigada por avisares.

Arquivo